Biografia

Fotografia do Autor

Elisabetta Piqué

Elisabetta Piqué, correspondente do diário La Nación de Buenos Aires, em Itália e no Vaticano desde 1999, foi a única jornalista que previu antecipadamente a eleição de Jorge Bergoglio como Papa. Também é correspondente de guerra e cobriu, entre outros conflitos, o do Médio Oriente e as guerras do Afeganistão e do Iraque. Com base nessa experiência escreveu, em 2003, o seu primeiro livro: Diário de Guerra, Apontamentos de uma correspondente na frente de batalha. Recebeu uma bolsa do World Press Institute, dos Estados Unidos, em 2003, obteve o Prémio Santa Clara de Assis de jornalismo e, em 2013, o prémio Mariano Moreno da Universidade Argentina da Empresa pela melhor cobertura jornalística sobre a renúncia de Bento XVI. É membro correspondente da Academia Nacional de Jornalismo da Argentina. Fez várias viagens com João Paulo II e Bento XVI, além de ter acompanhado Francisco na sua primeira viagem internacional, ao Brasil. Seguiu e continua a seguir de perto a carreira do Pontífice desde que foi feito cardeal, em 2001. Integrou o grupo de cinquenta jornalistas que tiveram o privilégio de saudar o Papa na sua primeira audiência concedida à imprensa mundial, a 16 de março de 2013. Tendo nascido em Florença (Itália), foi criada na Argentina. É licenciada em Ciências Políticas e Relações Internacionais pela Universidade Católica Argentina e colaboradora da CNN em espanhol e da Deutsche Welle.